Arquivo do mês: junho 2012

Palavras

Rafaela Knebel Crocco

Artur Júnior dos Santos Lopes

Expressar em palavras o que sinto. Parece que as palavras não tem esta capacidade. Não dão conta deste intento na totalidade. Me atrevo.

Estou tranquilo, envolto, alto mar, cercado. Apenas horizonte e céu, azul. Dia ensolarado. Brisa suave: que anima, refresca. Percebe-se: imensa liberdade. Imensa ausência de referencia. Suspensão de juízos.

Neste confortável ambiente: me desloco. Vivo. Te encontro. E aqui, neste local, nos amamos, vivemos. Frente a enormidade que reconheço: estou tranquilo. Frente aos desafios que se apresentam: sigo te amando.

Tu és, na minha vida, de uma forma muito especial. A intensidade, com a qual te desejo, é a intensidade com que o animal selvagem deseja a caça. Disso depende a própria vida. Sobrepujar a morte. Luta entre perder-se e encontrar-se. Erótico desejo do Céu pela Terra. É o desespero amante. É o pavor apaixonado. É a torpe sobriedade.

Despertas estas sensações em mim. Ensinas que elas são possíveis. Por isso te aprendo a cada instante. Te desejo mais e mais. Algumas vezes, parece que meu peito não tem espaço suficiente para manter tanto bem querer. Nestes momentos te olho nos olhos. Te abraço. Te beijo. Te possuo. Deixo transbordar!

Te amo!

Bjos!

Porto Alegre, 14 de junho de 2012.

Anúncios